Especiais

Mudanças em boletos sem registro

13 de setembro de 2017

Atenção, usuários dos boletos sem registro!

Desde março deste ano, os boletos sem registro vêm sofrendo algumas limitações. Não será possível pagar um boleto sem registro em qualquer agência bancária, mas somente no banco emissor do boleto, independentemente da data de vencimento.

Para que o serviço funcione corretamente em lojas virtuais é preciso que, ao gerar o boleto, o arquivo de remessa (que é aquele que informa ao banco a geração de boleto) seja enviado imediatamente ao banco. Entretanto, os bancos ainda não possuem uma forma de fazer isso de maneira programada, apenas manualmente no internet banking.

Assim que os bancos disponibilizarem uma maneira de enviar esses arquivos via Web Service, iremos oferecer aos clientes uma solução para isso.

 

Quando isso acontecerá?

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgou um cronograma de desativação gradativa dos boletos sem registro, de acordo com os valores.

  • Acima de R$ 50 mil: a partir de 13/03/2017.
  • Entre R$ 2000 e R$ 49.999,99: a partir de 08/05/2017.
  • Entre R$ 1.000 e R$ 1.999,99: a partir de 10/07/2017.
  • Entre R$ 500 e R$ 999,99: a partir de 18/09/2017.
  • Entre R$ 200 e R$ 499,99: a partir de 23/10/2017.
  • Igual ou inferior a R$ 199,99: a partir de 11/12/2017.

 

Qual o impacto para o seu negócio?

É importante ressaltar que o boleto sem registro não deixará de existir. O fato é que, como o pagamento só poderá ser feito no banco emissor do boleto, muitos clientes poderão reclamar.

Os boletos registrados continuarão podendo ser pagos em qualquer banco. Porém, para emitir um boleto registrado é preciso pagar uma taxa. Para quem tem e-commerce, isso poderá ser prejudicial. Já que, de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), metade dos títulos não é pago. Assim, o comerciante teria um custo bancário sem necessariamente ter concretizado a venda.

Entretanto, segundo a ABComm, o boleto com registro possui algumas vantagens que poderão fazer a diferença ao comerciante. Por exemplo, é possível saber quem pagou, o que pagou e quando. Permite maior comodidade ao cliente, já que o boleto pode ser pago mesmo vencido em qualquer banco pelo Débito Direto Autorizado (DDA), ou atualização do boleto no site do banco emissor.

Além disso, as mudanças no boleto sem registro tem o objetivo de tornar o pagamento mais seguro. Anteriormente, era muito fácil modificar os dados do boleto por meio de vírus.

 

A K13 listou as principais mudanças na forma de emissão dos boletos. Confira!

As principais informações que você precisa saber sobre as mudanças nos boletos em 2017.

  1. As empresas deverão adotar o boleto registrado ao longo do ano;
  2. Boletos sem registro continuarão existindo, mas só poderão ser pagos no banco emitente;
  3. O boleto registrado tornará a emissão mais cara para a empresa e está sujeita a novas taxas bancárias;
  4. No boleto registrado, será preciso indicar o pagador, valor do documento e vencimento;
  5. Juros e multas serão atualizadas automaticamente ao pagar após o vencimento;
  6. O cliente poderá quitar boletos vencidos em qualquer banco;
  7. As empresas precisarão manter um cadastro de clientes ativo e atualizado;
  8. Não será permitida a duplicidade de pagamentos, pois o pagamento também será registrado;
  9. Erros ao digitar o código de barras serão apontados na tentativa de pagamento;
  10. Se algo der errado, o boleto só será pago no banco emissor;
  11. O boleto permanece com o formato atual, incluindo seu código de barras com 44 dígitos.

Comentários